5 empresas de tecnologia sob nova direção – Olhar Digital

Conheça as companhias que estão trocando de comando e saiba o que um CEO precisa para conduzir uma empresa de TI

Stephanie Kohn

O ano ainda nem chegou na metade e cinco grandes companhias do setor de tecnologia enfrentam importantes mudanças: a troca de CEOs. Intel, Groupon, Alcatel-Lucent, Eletronic Arts e ARM deram ou darão adeus em breve aos seus presidentes-executivos, alteração que pode gerar fortes impactos no futuro das empresas.

Segundo Marshal Raffa, diretor executivo da empresa de recolocação profissional Thomas Case & Associados, a troca de comando não é um processo fácil. Recrutadores precisam de até seis meses para encontrar um substituto, e o grande desafio é adequar o perfil do candidato à cultura da companhia e às necessidades que ela tem num momento delicado como este.

“A área de TI está passando por mudanças e hoje um profissional precisa de vivência em outros segmentos também. Além do conhecimento técnico, ele tem de ter uma visão macro para gerir negócios”, comentou.

A saída que tem gerado maior abalo no setor tecnológico talvez seja a de Paul Otellini, da Intel. O atual CEO da fabricante de chips vai se aposentar após oito anos como presidente-executivo e 45 anos de contribuições à empresa. od2

O executivo foi o quinto CEO da história da Intel e encarou desafios difíceis em transições de mercados. Até maio Otellini vai exercer suas responsabilidades usuais como presidente-executivo e, após a aposentadoria oficial, passará a integrar o conselho.

Ainda não há informações sobre quem irá substitui-lo A Intel contratou a recrutadora Spencer Stuart & Associates para buscar candidatos externos. No entanto, a porta-voz daempresa informou em comunicado oficial que o conselho vai olhar igualmente para candidatos internos na tentativa de encontrar o substituto. “O processo de decisão será o mesmo para todos eles”, comentou.

Apesar da declaração da Intel, Raffa lembra que tem sido cada vez mais comum as companhias de TI buscarem candidatos além de seu terreno. E o motivo é simples: elas querem pessoas com novas visões.

“Buscar alguém de fora traz novas ideias e culturas à empresa e isso é o que organizações deste segmento precisam. O grande diferencial do profissional da área é que ele precisa pensar fora da caixa e, às vezes, um funcionário antigo já está inserido demais no contexto para conseguir essa inovação”, disse.

Ainda no segmento de chips, o CEO da ARM também anunciou sua aposentadoria após 12 anos no comando da britânica. Warren East deixará a vaga para Simon Segars a partir de 1º de julho e não deverá permanecer nem como consultor da companhia.

O novo presidente-executivo terá um grande desafio nas mãos, uma vez que East exerceu um excelente trabalho nos últimos anos. Ele foi um dos grandes responsáveis pela evolução da empresa no mercado de mobilidade. Mesmo sem produzir chips, atualmente a companhia está presente em 90% dos dispositivos móveis do mundo por meio de sua arquitetura licenciada a empresas.

Warren East deixa a ARM após 12 anos

Warren East deixa a ARM após 12 anos

Outro que declinou do cargo de CEO sem motivos públicos é Ben Verwaayen, da Alcatel-Lucent. Em janeiro, a empresa anunciou sua saída e duas semanas depois já havia identificado um substituto: Michel Combes.

O novo CEO liderou a Vodafone Europa, onde também era membro do conselho de administração, e trabalhou na France Telecom. Sua saída da Vodafone foi anunciada em maio de 2012, quando Combes assumiria o cargo de presidente-executivo da operadora francesa SFR. Contudo, a mudança nunca se materializou.

Já John Riccitielo não teve outra escolha senão deixar o cargo da Eletronic Arts. A companhia anunciou sua saída para 30 de março e, conforme divulgado pelo site Mashable, a má situação financeira da empresa deve ter contribuído para a decisão.

O fracasso no lançamento de ‘SimCity’ pode ser um dos fatores por trás destas dificuldades. Ainda que o jogo tenha vendido mais de 1,1 milhão de cópias, muitas pessoas não conseguiram acessá-lo devido à necessidade de conexão durante 100% do tempo de jogo.

John Riccitielo foi convidado a se desligar da EA

John Riccitielo foi convidado a se desligar da EA

Os prejuízos financeiros do Groupon foram os principais responsáveis pela demissão de Andrew Mason, um dos fundadores do site de compras coletivas. Os resultados desastrosos no último trimestre de 2012 resultaram na queda de 25% das ações em apenas um dia.

A função será exercida interinamente por Eric Lefkofsky e Ted Leonsis, chairman e vice-chairman da empresa, respectivamente. Eles ocuparão a posição até o quadro de diretores encontrar outra pessoa  para o cargo. Em comunicado oficial, a empresa agradeceu ao ex-CEO pelos serviços prestados e afirmou que continuará investindo para crescer e se preparar para o futuro.

Andrew Mason foi afastado do Groupon

Andrew Mason foi afastado do Groupon

“No geral, um CEO precisa de alta performance para viver e trabalhar com resultados. Fora isso tem de ser visionário, porque senão uma companhia de TI não sobrevive”, resumiu o recrutador.


Ariel Cannal

Os comentários estão fechados.