Conflito entre profissionais: como lidar?

Analisando o comportamento dos pais, descobriremos o comportamento de seus filhos e vice-versa. Os filhos têm em sua educação, noções de ética e moralidade, influenciados pelos pais, adicionando-se o fator genético peculiar a cada um deles. Portanto, se os pais desejam que seus filhos se empenhem nos estudos, tenham uma vida saudável e que adquiram princípios morais nas relações pessoais, façam uma autoanálise; procurem conhecer o que realmente pensam seus filhos e, então, estarão em condições de influenciá-los positivamente.

No mundo corporativo não é diferente: as Organizações têm seus líderes que influenciam as equipes com seu estilo comportamental, sua personalidade e metodologias de trabalho próprias. Nessa diversidade de emoções e habilidades vem junto a competividade e os indesejáveis conflitos. O clima na empresa está sujeito às diversas influências do ambiente e a variadas maneiras de reagir emocionalmente a estas influências.

O melhor caminho para evitar os conflitos nas equipes será a criação de um clima positivo – flexibilize as condições de trabalho melhorando o “salário psicológico” –, dê liberdade de atuação, transformando suas equipes em cross-funcionais. A comunicação adequada, incluindo uma linguagem clara, é essencial para desenvolver a compreensão dentro da empresa, e provoca melhorias no desempenho e na produtividade dos colaboradores.

Não podemos esquecer que as desarmonias também são frutos do mundo competitivo, onde cada profissional tem sua meta e prazos a cumprir – uns se sobressaem melhor –, causando inveja, rivalidade, cobiça e outros sentimentos inerentes ao ser humano. Os conflitos entre profissionais podem chegar, sem dúvida, ao boicote, transcendendo o campo profissional individual e prejudicar diretamente os resultados da Organização. A seguir, algumas sugestões para evitar essas situações.

Destinadas às empresas:

Reconheça que a participação de todos é ponto fundamental para os resultados

Uma forma de preservar a equipe vitoriosa é reconhecer que o sucesso deles é fruto do trabalho em conjunto. É necessário ter versatilidade para agradar a todos as partes e impedir que pessoas se unam com o objetivo de represálias ou mesmo de sabotagem entre as equipes.

Valorize o colaborador que sofre o boicote pelo gestor

Ao presenciar uma performance, acima da média, por parte do subordinado é possível que o líder se sinta ameaçado e deixe de atribuir oportunidades de crescimento à ele, que se sente desvalorizado, inábil e desmotivado. Nesse caso, a empresa deve expressar o propósito de cada um: ambos têm sua parcela de importância. O colaborador assediado precisa de apoio e de reconhecimento para crescer e apresentar bons resultados. Já o gestor, necessita confiar e delegar mais tarefas a fim de obter um sucessor.

Propicie feedback entre o gestor e o funcionário

Muitas vezes está faltando contato entre esses dois colaboradores. É preciso saber como um vê o trabalho do outro e entender o que cada um pode fazer para a melhoria do relacionamento. A avaliação é uma forma de identificar o que pode ser aprimorado. Façam com que eles pratiquem a inteligência emocional, para que conheçam a si mesmos e procurem conhecer os outros.

Ressalte a importância dos clientes internos

O intercâmbio interdepartamental nos dias atuais é fundamental para o êxito dos trabalhos em equipe. É importantíssimo que o conceito de clientes internos seja uma política da empresa. Cada colaborador deve entender que o trabalho dele irá influenciar o do colega; que seu trabalho está diretamente ligado ao atendimento que também recebe; pois, todos somos clientes internos de colegas, e todos somos fornecedores. Pratique a “paixão por pessoas”. O cliente interno saberá reconhecer esta atitude e, sem dúvida, contribuirá efetivamente para a percepção final do cliente externo.

Destinadas aos profissionais:

Mantenha a humildade

Um fator importante para o profissional é manter a humildade perante os colegas. Atitudes arrogantes e dotadas de estrelismo somente afastam as pessoas. A humildade é muito importante: perguntar quando há dúvidas, no caso dos subordinados; ouvir os subordinados, no caso dos líderes. Por mais que no mercado de trabalho haja concorrência, é possível que ela exista com respeito ao trabalho alheio.

Respeite a individualidade do outro sempre

Lembre-se da diversidade que há em um ambiente de trabalho, em que profissionais de diferentes culturas e crenças convivem. Procure aderir a algumas regras que facilitam a convivência: evite fazer perguntas invasivas; não crie apelidos para as pessoas; olhe nos olhos de uma pessoa enquanto ela fala; atente para as brincadeiras sem limites; fuja de assuntos que exponham a sua vida pessoal ou a de outra pessoa. Essas ações valem para todos os níveis de interação: com chefes, com pares e com subordinados.

Saiba ouvir opiniões

Seja flexível! É preciso aprender a lidar com imprevistos e ouvir opiniões variadas e divergentes. O profissional que argumenta e busca soluções deve saber também qual é a hora de ceder e harmonizar.

Quando nosso ambiente de trabalho se torna prazeroso, tudo flui melhor. Um clima organizacional leve e favorável promove o bem-estar corporativo e influencia no comportamento, nas relações entre as pessoas, na produtividade do trabalho e na saúde dos envolvidos. Ele é essencial para a qualidade de vida no trabalho e para a melhoria da satisfação de vida do indivíduo, atingindo assim, o sucesso de todos. Que tal colocarmos estas dicas em prática?


Norberto Chadad | CEO das empresas Thomas Case & Associados e Fit RH Consulting
Norberto Chadad | CEO das empresas Thomas Case & Associados e Fit RH Consulting

Mestre em Alumínio pela Escola Politécnica, Mestre em Metalurgia pela USP, MBA pela Los Angeles University, Graduado em Economia pela FGV e Graduado em Engenharia Metalurgista pela Universidade Mackenzie

Os comentários estão fechados.