Em tempos de crise, como se tornar um profissional altamente competitivo para não perder as oportunidades de mercado?

Qualificação proativa deve ser uma meta rotineira dos profissionais que desejam ser competitivos no mercado de trabalho. Em tempos de crise, ninguém está isento da probabilidade de ficar sem emprego. Quando se está em um cenário ameaçador, é preciso mostrar ainda mais às empresas porque seu trabalho é tão importante para ela. O profissional precisa adotar medidas que o façam manter-se empregável.

O país muda e os negócios também, o que repercute nas empresas é que para enfrentarem a crise, precisariam dispor de profissionais atualizados e qualificados. Mesmo com o crescimento do desemprego, faltam profissionais preparados e com formação profissional para preencher os requisitos das vagas. O mercado de trabalho exige profissionais que investiram em qualificações e em estudos; é, portanto, a chance que os “capacitados” têm de fazer da crise uma oportunidade de emprego. O certo é que em época de crise, quanto maior ela for, maior é a escassez de mão de obra qualificada, possivelmente, essa carência seja por conta do pouco investimento feito pelo País em educação.

As empresas se interessam por atitudes específicas no momento de selecionar um colaborador. São elas: facilidade de comunicação, interesse pelo propósito da empresa, habilidade no trabalho em equipe e estar pronto para aceitar desafios diferentes, além de ser comprometido com suas tarefas e competitivo perante o mercado. O motivo para contratar funcionários competitivos seria porque eles têm desejo de se autossuperar e de buscar o seu melhor, unindo assim, seus conhecimentos técnicos e a transceder seus próprios limites.

Algumas dicas de como se transformar num profissional competitivo:

  1. Atualizar-se em relação às novas ferramentas em gestão de negócios, o que chega a ser um paradoxo, pois por um lado, devido a própria crise, os profissionais são limitados com o pouco tempo disponível e pelo excesso de trabalho, e como inferência, acabam agindo com soluções sem nenhum planejamento; é preciso bom senso, manter-se atualizado e conseguir resultados com as novas ferramentas. Essas atitudes podem ser essenciais para a manutenção de seu emprego e, ao mesmo tempo, faz de você um profissional competitivo em caso de participar de algum processo seletivo. O segredo não está apenas em fazer o trabalho diário que é pedido, mas também apurar exemplos e dados que possam ajudar a dar propostas interessantes para a Organização.
  2. É preciso avaliar as melhores ferramentas que se identificam com os negócios da empresa – na qual trabalha ou pretende trabalhar –, e que possibilitem mais agilidade nas atividades diárias, evitando erros e reduzindo custos com infraestrutura.
  3. A gestão financeira é a mais importante na crise, portanto, o investimento em aperfeiçoamentos deve caminhar junto com a política financeira, onde a análise do binômio custo X benefícios se torna de suma importância.
  4. Ter uma visão moderna e digital é bastante relevante. Quanto menos burocráticos forem os procedimentos melhor para a fluidez dos fluxogramas das atividades. Usufrua de uma mente aberta a inovações para romper “papeis” e rotinas tradicionais e superadas. O fato da política da empresa e da metodologia nos departamentos sempre terem dado certo, não significa que não se possa inovar nas estratégias para minimizar custos e potencializar os benefícios: os seus colegas de empresa podem estar mais dinâmicos e disponíveis a novos processos do que você.
  5. Seja um profissional diferenciado, procure agregar valor para o trabalho que oferece, e tenha flexibilidade para mudanças, estando apto a executar outros trabalhos de outros setores, além dos que já produz.
  6. Procure fomentar sua criatividade, sempre que vier à mente algo novo, avalie com carinho, pois pode ser útil ao seu trabalho. Incertezas são habituais em época de crise, aprenda a lidar com elas; tire proveito da crise para crescer profissionalmente. Seja um bom observador, procure conhecer bem os seus parceiros, e analise, em caso de corte de pessoal, qual o perfil dos que foram demitidos.
  7. Adquira novas competências: a) A primeira é dedicar algum tempo no comportamento que envolve a Inteligência Emocional, dedique tempo ao autoconhecimento e planejamento pessoal; b) Aprenda novas línguas, seja para fazer algum intercâmbio ou para usar no seu atual trabalho; c) Procure adquirir conhecimentos técnicos, alguns softwares de gestão empresarial; o domínio dessas ferramentas pode tornar seu trabalho ou seu currículo eficiente, tornando-se um profissional mais versátil e competitivo.

Através destas indicações, compreenda e crie uma estratégia para se inovar dentro do Ciclo da Carreira Profissional. Agora é hora de preparar-se para o melhor. No fim das contas, com crise ou sem crise, não faltam oportunidades para quem é bom no que faz.


Norberto Chadad
Norberto Chadad

Norberto Chadad é Engenheiro Metalurgista pela Universidade Mackenzie, Mestre em Alumínio pela Escola Politécnica, Economista pela FGV, Master em Business Administration pela Los Angeles University, CEO da Thomas Case & Associados e Fit RH Consulting, e tem “Paixão por Pessoas”.

Os comentários estão fechados.