Falta de pontualidade e assiduidade causa demissão – Mogi News

Relacionamentos interpessoais também fazem diferença quando a organização reduz o quadro de funcionários

Fernanda Nascimento
Da Reportagem Local

Dificuldade em trabalhar em equipe pode comprometer desempenho dos profissionais

O dinamismo do mercado de trabalho exige dos funcionários demonstrações constantes de interesse e competência no desempenho de suas atividades. Caso contrário, na opinião dos especialistas em gestão de pessoas, o colaborador pode ser facilmente substituído.
O supervisor de Recursos Humanos da Nachi Brasil, Jaime Cobianchi, afirma que ao perceber um comportamento contrário às políticas e à cultura da empresa, os chefes fazem uma avaliação de desempenho negativa do funcionário, que certamente será o primeiro a ser dispensado quando, eventualmente, a empresa realizar uma redução no quadro de colaboradores.
A avaliação é a mesma da gerente de Operações da Thomas Case & Associados/Case Consultores, Rosemary Corretori. Segundo ela, um funcionário que, por exemplo, apresenta mau desempenho das funções, tem excesso de faltas, mau relacionamento com seus colegas ou não colabora quando solicitado pela empresa, representa um trabalho extra para os superiores.
“O gestor precisa de pessoas que tragam resultados rápidos e não que tragam problemas constantes. Hoje as empresas precisam de profissionais prontos, tanto do ponto de vista técnico quanto do comportamental, de forma que os gestores possam se preocupar apenas com a estratégia do negócio e gerenciamento dos resultados”, comenta a gerente.
Rosemary diz ainda que os problemas variam de acordo com a função, uma vez que conforme aumenta o nível hierárquico, é maior a exigência da empresa com relação à performance do profissional: “Uma posição de liderança, por exemplo, exige competências como proatividade, iniciativa, comunicação, poder de decisão, estratégia, independência e criatividade”. Para ela, o importante entender que não só um mau comportamento pode causar demissão, mas também a falta de determinadas competências para o cargo em questão.

Maus comportamentos

A recomendação é que a postura e bom senso devem ser sempre lembrados no ambiente de trabalho, porém, de acordo com Rosemary, dentre os comportamentos que mais causam demissão, vale ressaltar a falta de respeito com colegas, de comprometimento com prazos, de pontualidade e assiduidade e de equilíbrio emocional em situações de pressão, além da distorção de informações e dificuldade para trabalhar em equipe, entre outros.

Especialistas recomendam atenção às reações dos chefes

Mesmo com toda a liberdade que alguns chefes oferecem, às vezes, é difícil saber se as expectativas estão sendo supridas. Neste caso, a gerente de Operações da Thomas Case & Associados/Case Consultores, Rosemary Corretori, aconselha que os profissionais solicitem feedbacks, ou seja, retornos sobre suas atividades. “É comum a gestão dar feedbacks em reuniões e até mesmo em conversas mais informais, por isso é importante estar sempre atento e aberto aos comentários e considerações”, afirma a especialista.
Já o supervisor de Recursos Humanos da Nachi Brasil, Jaime Cobianchi, diz que o funcionário deve manter-se vigilante: “O colaborador deve estar sempre atento a todas as normas da empresa e atendendo a todas as solicitações da supervisão relacionadas ao seu trabalho, mantendo assiduidade e colaboração”.
Para não ser surpreendido por uma demissão inesperada é preciso ficar atento às reações dos gestores, da equipe e dos colegas de trabalho. Segundo Rosemary, normalmente quando a empresa demite um funcionário, ela já deu sinais de que algo não estava caminhando de acordo com o esperado. “A empresa não espera contar com super-heróis, mas sim com pessoas dispostas a ouvir, aprender e crescer”, alerta a especialista.
No entanto, Rosemary alerta que aqueles que sentem seu emprego ameaçado, adotem uma postura mais humilde: “Caso a empresa tenha dado sinais de insatisfação, é importante ter um diálogo aberto com a gestão e demonstrar humildade e disposição para mudar comportamentos considerados inadequados, ou mesmo buscar novas competências que possam faltar para atingir as expectativas de desempenho”, completa a gerente. (F.N.)


Ariel Cannal

Os comentários estão fechados.