Profissões do Futuro Próximo

De acordo com a evolução da sociedade e da economia, as demandas de trabalho e de carreiras também evoluíram. Segundo alguns especialistas e estudiosos sobre essas tendências, setores envolvidos com sustentabilidade; preocupação constante com a qualidade de vida; e, principalmente, o aumento na estimativa do número de anos que se espera que um indivíduo viva, serão fatores que influenciarão na promoção de algumas profissões nos próximos anos.

No que diz respeito à tecnologia, o mundo passará por um avanço sem precedentes, aliás, já passa, graças aos smartphones e aplicativos da internet. Não será de se estranhar que as grandes carreiras estarão diretamente ligadas à essa área; portanto, há de se supor que os profissionais que se voltarem para as esferas do desenvolvimento sustentável e do envelhecimento humano saudável, adicionando-se qualificações voltadas para a tecnologia da informação, serão os da “hora da vez” em resultados.

Dentro da área da Sustentabilidade temos o agronegócio, que valorizará funções como Engenheiros Agrônomos, Veterinários e Profissionais Especializados em várias atividades ligadas à agricultura, à pecuária, aos fornecedores de insumos/sementes, e alguns agregados. O êxodo rural que se observava nos anos 60 até o fim dos anos 90 – com a migração dos filhos dos fazendeiros para os grandes centros –, hoje, ocorre exatamente o contrário. Os jovens estão se especializando em negócios da terra, estabelecendo carreiras em Agronegócios e Agroecologia. É preciso cultivar a terra para que não se torne imprópria para o plantio de alguns grãos ou raízes, bem como constituir o rodízio dos plantios e, até mesmo, plantando-se com intercalação de culturas. Dar prioridade às proteções das nascentes e das margens de rios e de córregos, para que as plantações e os animais da pecuária sempre tenham água à sua disposição e até para irrigação.

O Brasil tem reais condições de se tornar o “celeiro do mundo”, pois hoje o agronegócio já representa 25% do nosso PIB, segundo o IBGE. Mas o país deve atingir a meta de maior exportador de grãos, de carnes (bovina, suína, de frango), de frutas, e de sucos já industrializados. Temos um grande potencial na Bacia Amazônica para produzir e exportar frutas exóticas, de preferência com alguma industrialização já agregada. Podemos dar como exemplo: o Açaí, o Guaraná, o Cupuaçu e o Cacau. Uma prova do sucesso da exportação destas frutas é encontrar-se em ruas de Nova York o açaí amazônico servido em sorvetes e sucos.

A diversidade de oportunidades no agronegócio requer profissionais com novas especialidades que possam produzir – em alta escala – alimentos e frutos típicos, dentro de uma logística que viabilize as exportações e que evite perdas de produtos produzidos em locais inadequados ou épocas errôneas.

Já as carreiras que buscam pela qualidade e expectativa de vida da população ampliarão os campos de atuação dos profissionais das áreas de Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Psicologia, Educação Física e Medicina Preventiva, não somente no tratamento médico tradicional, mas também na prevenção de doenças na terceira idade.

Façamos uma previsão de profissões com um futuro promissor, considerando as atuais tendências: agronegócios (Diretor de Logística Agrícola, Gerente de Fazenda, Gerente de Genética no Campo, Analista de TI Agrícola); exploração de reservas naturais como petróleo e minérios (Geólogo Sênior, Gerente de Operações de Plataformas, Gestor de Projetos de Engenharia Submarina); infraestrutura (Diretor de Projetos de Infraestrutura e Energia, Gerente de Suprimentos e Equipamentos); varejo (Diretor Comercial no Mercado de Varejo); mercado financeiro (Gestor de Contratos, Head de Crédito – Riscos); e e-Commerce (Gerente Industrial para Norte e Nordeste – Cosméticos e Frutas Típicas).

Interessante, da mesma forma, é analisarmos as novas profissões que despontaram nos últimos dez anos, cuja a maioria nunca tínhamos ouvido falar: Gerente de Trade Marketing, Analista SEO, Gestor de Mídias Sociais, Especialista em Links Patrocinados, Advogado Especialista em Direito Eletrônico, Engenheiro de Segurança, Arquiteto de Dados, Engenheiro de Rede Cloud Computing, Desenvolvedor de Aplicativos Móveis e Gerente de Sustentabilidade.

Independente dos prognósticos ou das escolhas de carreira, os profissionais de um futuro próximo terão que ser completos e considerar seus trabalhos como uma extensão pessoal de seus projetos. O importante é possuir uma sólida formação, ser capaz de enxergar possibilidades em cada passo da atuação e concluir que existirão muitas oportunidades para as mais diversas profissões.


Norberto Chadad

Norberto Chadad é Engenheiro Metalurgista pela Universidade Mackenzie, Mestre em Alumínio pela Escola Politécnica, Economista pela FGV, Master em Business Administration pela Los Angeles University, CEO da Thomas Case & Associados e Fit RH Consulting, e tem “Paixão por Pessoas”.

Os comentários estão fechados.