Qual deles é você?

IMAGEM 019

Não está fácil assistir aos noticiários recentemente: crise política e econômica, redução de investimentos, aumento do desemprego, escândalos de corrupção, desagradável panorama de crescimento do país, elevada inflação, manifestações constantes… a dificuldade de manter-se motivado, com tantas informações desanimadoras, acaba pesando em qualquer produtividade.

A primeira providência é selecionar as informações que chegam até você, e buscar não se contaminar com tanto negativismo. Por pior que a crise possa parecer, ela não será eterna. Devemos praticar a resiliência e nos adaptar aos cenários que encontramos ao longo da vida.

Somos nós os responsáveis pelas próprias decisões. Decidir se a suposta vicissitude irá ou não afetar nosso rendimento profissional, nossos relacionamentos pessoais, enfim, nossa vida, cabe somente a nós! Temos capacidade e tenacidade suficientes para superar mais este desafio.

O texto a seguir, de um autor desconhecido, demonstra muito a nossa atual realidade e nos auxilia a refletir sobre o enfrentamento de difíceis situações.

Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia que assim que um problema estava resolvido, outro surgia.

Seu pai, um chef de cozinha, encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e, na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás.

Pescou as cenouras e as colocou em uma tigela. Retirou os ovos e os colocou em uma tigela. Então pegou o café com uma concha e o colocou em uma tigela. Virando-se para ela, perguntou: –

Querida, o que você está vendo? Cenouras, ovos e café, ela respondeu.

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse. Ela obedeceu e depois de retirar a casca, verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café. Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso. “O que isto significa, pai?”

O pai explicou que cada um deles havia enfrentado o mesmo incômodo: a água fervente, porém que cada um reagira de maneira diferente.

A cenoura entrara forte, firme e inflexível, mas depois de ter sido submetida a água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil. Os ovos eram frágeis, sua casca fina havia protegido o líquido interior, entretanto depois de terem sido fervidos na água, seu interior se tornara mais rígido. O pó de café, contudo, era incomparável; depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água.

Ele perguntou a filha: – Qual deles é você, minha querida, quando a adversidade bate à sua porta? Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e com os obstáculos murcha, torna-se frágil e perde sua força? Ou será você como o ovo, que começa com um coração maleável, no entanto depois de alguma decepção se torna mais duro, apesar de a casca parecer a mesma? Ou será que você é como o pó de café, capaz de transformar a dificuldade em algo melhor ainda do que ele próprio?

Espero que, nestas semanas que se seguem, quando lhe convidarem para tomar um café, você possa repassar essa história e superar as adversidades.


Norberto Chadad

Norberto Chadad é Engenheiro Metalurgista pela Universidade Mackenzie, Mestre em Alumínio pela Escola Politécnica, Economista pela FGV, CEO da Thomas Case & Associados e Fit RH Consulting, e tem “Paixão por Pessoas”.

Os comentários estão fechados.