Quando o trabalho dos sonhos vira pesadelo

Mulher deitada na cama tendo pesadelos

Quantas vezes não nos deparamos com situações em que os olhos brilham com a possibilidade de atuar em determinada empresa porque ela está em uma ótima fase, tem nome consolidado no mercado, oferece um bom salário e muitos benefícios, conta com um grupo de colaboradores felizes e possibilita a chance de atuarmos de forma diferente. Este é um exemplo que se repete – e muito – no mundo dos negócios e comumente serve de inspiração para muitas pessoas que pretendem consolidar a carreira e equilibrar atividades pessoais e profissionais. Mas você já se deparou com quem se decepcionou com uma empresa dessas? Existe a possibilidade de alguém ser insatisfeito com uma empresa tão consolidada e que realiza por completo a atuação de qualquer profissional? Como lidar com este tipo de situação?

Antes de tudo, é importante considerarmos que pessoas não são iguais e cada uma delas percebe o ambiente de sua própria maneira. Nossa formação é diferente e as experiências que tivemos são distintas, assim como a forma que interagimos com o ambiente externo não é igual. Portanto, o que pode ser agradável para uns, pode não ser para outros. Apesar dessas diferenças, existem alguns tópicos que frequentemente são problemáticos e transformam qualquer emprego em um pesadelo real:

Mudanças na Organização

Seja em reestruturação, alterações de equipes, processos ou na própria gestão, um novo cenário pode ser o principal responsável por criar o desconforto que passa a decepcionar o profissional em relação à aquela empresa. O ser humano naturalmente tem dificuldade em lidar com mudanças pois um esforço lhe é exigido para sair de sua zona de conforto e então readaptar-se ao novo ambiente, o que pode esgotá-lo em situações de mudanças.

Apesar da área de Recursos Humanos acompanhar estas mudanças, cabe ao próprio indivíduo identificar se o esforço de adaptação que ele fará é válido ou não para que a partir daí, tome as atitudes mais adequadas perante o novo momento que a empresa vivencia. É importante mencionar que o processo de mudança contribui muito para o desenvolvimento de novas competências, e este certamente poderá agregar muito valor a aquele colaborador, caso a mudança faça sentido.

Estagnação de carreira

A busca por uma posição estável pode ser o principal motivador de diversas pessoas na busca por um novo emprego, procurando principalmente por empresas que possuem plano de carreira desenvolvido e tem uma remuneração que atende ou supera suas expectativas. Ainda que o valor ofertado pelo novo contratante seja atraente em um primeiro momento, assuntos não relacionados ao salário podem servir de contrapeso nesta balança que manterá o profissional na organização apenas por seu salário ou pela condição estável que aquele emprego lhe proporciona. Estes pontos diariamente contribuirão para que a visão sobre seu empregador seja cada vez mais distorcida, contribuindo para a insatisfação dos colaboradores.

Desde o processo seletivo, cabe ao profissional identificar características-chave da empresa como missão, visão, valores, perfil das equipes, atuação da empresa no mercado e seus objetivos, tal qual será o seu papel na Organização quando for contratado. Desta forma, o profissional terá ciência sobre o ambiente que deseja fazer parte e terá melhores condições para se adaptar, caso a posição faça sentido.

Conflitos entre papel pessoal e profissional

Muito é dito sobre separar os lados pessoal e profissional, mas trata-se de uma tarefa difícil e complexa: ainda que estes papeis sejam distintos, uma mesma pessoa é a responsável por executá-los simultaneamente, o que dificulta a segregação durante o dia. Entregar aproximadamente um terço das horas diárias para relações não saudáveis com colegas e superiores também pode ser considerado como algo exaustivo e desmotivador, além de trazer diversos problemas para a empresa em questão.

Manter relacionamentos saudáveis no ambiente de trabalho é necessário para que se tenha mais engajamento das equipes e, consequentemente, melhor entrega de resultados com melhorias no clima organizacional. Apesar desta situação exigir muito mais ações da gestão e área de Recursos Humanos em conjunto, o próprio profissional pode optar por rever seus comportamentos sem alterar a essência de quem ele é. Neste momento, solicitar feedbacks da liderança e de colegas, colocar-se à disposição na melhoria de questões pessoais e auxiliar na promoção de um melhor convívio contribui para uma atmosfera mais saudável e produtiva a todos. Vale ressaltar que o principal propósito dos colaboradores e liderança é trabalhar em prol de determinado resultado, o que exige maturidade, concentração e parceria para melhores entregas.

Falta de reconhecimento

Seja por remuneração, feedbacks, atribuições ou responsabilidades, ser reconhecido pelo empregador é algo benéfico a carreira profissional. E como entrar no mercado de trabalho é uma ação que exige propósito pessoal ou profissional, trabalhar num ambiente que possa auxiliar no atingimento dos objetivos é algo que grande parte das pessoas espera. Ainda que o profissional tenha paixão por sua carreira ou área de atuação, estar em uma empresa que desvaloriza ou não estimula o seu colaborador é um fator que certamente contribuirá para a desmotivação do empregado.

Neste tipo de caso, o profissional precisa identificar alguns pontos em sua relação com a empresa e se esta o valoriza da forma que deveria. Outro ponto importante é que o profissional identifique o que ele espera de seu empregador, possibilitando um melhor alinhamento entre expectativa versus entrega.

E o que fazer?

Ainda que a proposta de um empregador seja tentadora por diversos motivos durante um processo seletivo ou de admissão é importante analisar o cenário e enxergar o que ele oferece em termos de carreira, remuneração, qualidade de vida e outros aspectos importantes, permitindo que seja eliminado antes mesmo de se tornar um problema. E para quem já está nessa situação, nunca é tarde para realizar uma autoanálise e correr em busca dos próprios sonhos. Rever os objetivos profissionais e pessoais é fundamental para quem quer obter sucesso e atingir metas estabelecidas, mesmo que isso leve ao desligamento de uma posição que qualquer um sonharia em ter.


Daniel Barbosa
Daniel Barbosa

Graduando Psicologia pela FMU e Graduado em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Metodista de São Paulo

Os comentários estão fechados.