Saiba quando não pega mal beber durante horário de trabalho – InfoMoney

Almoço com cliente, com colegas, coquetel de lançamento ou jantar de negócios são muitas as oportunidades que os profissionais têm de beber durante o expediente

Por Karla Santana Mamona 

 

SÃO PAULO – Almoço com cliente, com colegas, coquetel de lançamento ou jantar de negócios são muitas as oportunidades que os profissionais têm de beber durante o horário de trabalho. Mas antes de dar o primeiro gole é importante estar atento a algumas questões.

Uma delas, segundo o diretor-executivo da Thomas Case & Associados/Case Consultores, Marshal Raffa, é observar a cultura da empresa. “Existem empresas que até reembolsam o valor da bebida em um almoço de negócios.” Já outras deixam bem claro que o consumo de bebidas é proibido.

Entre as empresas que permitem existe ainda aquelas que oferecem uma bebida como aperitivo na hora do almoço. Geralmente, em restaurante de fábricas. Raffa explica que isto é uma maneira do profissional beber sendo vigiados por colegas e líderes. “Evita que as pessoas saíam para beber”.

Há aquelas ainda que não advertem os profissionais quando eles pedem uma bebida alcoólica, como uma cerveja, ao sair para almoçar com os colegas. Para a consultora de Imagem, Renata Mello, apesar das empresas permitirem este tipo de comportamento não é o ideal. “Bebida na hora do almoço não combina. A pessoa tem de lembrar que ela terá o segundo turno.”

Ela lembra que o álcool porque relaxa pode dar sono e prejudicar o desempenho das atividades no período da tarde. “Tem aqueles ainda que bebem e ficam muito descontraídos, falam mais do que deviam.”

Com o cliente
A regra, de acordo com a especialista, vale também para almoços de negócios. Renata afirma que não é porque o cliente pediu uma bebida que o profissional é obrigado a acompanhar. Neste caso, a pessoa deve ser sincera e dizer que não bebe na hora do almoço ou que a bebida não cairia bem naquele momento. “É uma saia justa, mas cabe uma desculpa.”

Nestas ocasiões, Raffa acrescenta ainda que nunca o profissional deve oferecer a bebida ao cliente. Ele pode até perder o negócio se a bebida alcoólica for contra a cultura ou religião do cliente.

Já no caso de jantares de negócio, a consultora explica que o profissional pode beber, mas moderadamente. O indicado é uma taça de vinho ou copo de cerveja. A diferença de poder beber no jantar, mas não no almoço é que o profissional não voltará a trabalhar. Mesmo assim, a quantidade de bebida deve ser mínima evitando constrangimentos.

A mesma dica vale para festas corporativas, em que há presença de clientes. “Em festas ou coquetéis, o ideal é comer algo antes de beber. Se bebeu e não está bem, vá embora antes que os outros percebam”, finaliza Renata.


Ariel Cannal

Os comentários estão fechados.