Você e sua carreira, como estão?

Você e sua carreira, como estão

Este tema é translúcido? Corriqueiro? Importante? Sabemos que, mesmo diante de muitos livros escritos sobre este tema, palestras proferidas, muitos artigos de autoajuda envolvendo este amplo assunto, pessoas se veem refém deste questionamento.

Como vai sua carreira? Ela tem se desenvolvido? Muito bom seria se desde muito cedo, logo ao sair da universidade, pudéssemos, com muito vigor, definir e buscar o que almejamos para um futuro que nos parece longo.

Alguns autores afirmam que a Carreira é formada por três fases distintas e importantes: promessa – impulso – colheita.

A promessa está relacionada com fase universitária e se estende até por volta de 30 anos. A partir daí deve-se começar a vivenciar a fase do impulso, onde já se reúne experiências que geram e confirmam o prazer ou gosto por uma área. Nesta fase, o profissional deve estar preparado ou já ocupando cargos de decisão, ser um formador de opinião dentro do contexto em que se insere.

Nesta fase quase tudo acontece: promoções, convites de concorrentes/mercado, bons salários e benefícios, mas é ai também que se precisa pensar em longo prazo, fazer investimentos e poupar para o futuro, pois ela se estende até aproximadamente 50 anos, arremetendo o profissional a fase da colheita.

A fase da colheita, se bem preparada, é muito agradável. Trabalha-se pensando em tudo que tem para contribuir, ensinar, facilitar, com grande visão de um planejador. Pensa-se sim no retorno financeiro, mais como um complemento do que pagamento, como na fase do impulso, mesmo porque já foi pensado e poupado para este futuro que chegou.

Profissionais ao refletirem sobre estas fases percebem que não conseguiram fazer a gestão correta de sua carreira. Tendem a colocar a culpa em algo ou alguém, esquecendo que a gestão da carreira é particular, de interesse e responsabilidade própria.

A reflexão sobre gestão da carreira deve ser feita, no mínimo, anualmente. Se ao término de um ano, o profissional não tiver algo novo para acrescentar em seu currículo, não está cuidando desta gestão.

O trabalho de “coaching” é uma importante ferramenta neste processo de gestão da carreira, pois conduz o profissional a ver sua carreira sob um prisma e patamar de competitividade exigida pelas modernas companhias. Muitas organizações desenvolvem líderes inovadores que conseguem trabalhar as competências de seus subordinados, traduzindo desafios em resultados e potencializando o capital intelectual.

Quando o profissional não consegue ter este cenário dentro da própria organização em que atua, aconselha-se buscar este trabalho de “coaching” no mercado especializado em gestão de carreira, conseguindo encontrar especialistas que auxiliam neste alinhamento, pois se trata de uma ação estratégica voltada para o desenvolvimento, melhoria de performance e expansão do conhecimento.

O processo de coaching, que se diferencia de aconselhamento, terapia, treinamento etc., cria consciência, capacita à escolha e produz mudança, assim, também pode auxiliar o profissional a se preparar para a fase da colheita.


Regina Izabel

Regina Izabel Cadelca é Consultora de Carreira, Psicóloga, com especialização em Gestão do Conhecimento pela FGV e certificada em Coach pela International Coaching Community. Sua expertise está focada em transição de carreira, coaching e assessment.

Os comentários estão fechados.